Entrega de prémios do Concurso "Duas Casas nas Ilhas Selvagens" a 23 de Março

— 22.03.2016


A equipa Ponto, composta pelo arquitecto coordenador Vasco Tomás Rosa e pelos arquitectos estagiários Ana Pedro Ferreira, Pedro Maria Ribeiro e José Gustavo Freitas, venceu o Concurso “Duas Casas nas Ilhas Selvagens” na Madeira, lançado pela Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos no âmbito do Programa escolha-arquitectura. O projecto vai ser apresentado no próximo dia 23 de Março, a partir das 19h, no Auditório da Sede Nacional da Ordem dos Arquitectos em Lisboa, numa sessão onde vão ser dados a conhecer todos os projectos distinguidos no Concurso. A entrada é livre.

De acordo com a apreciação do júri, que avaliou 63 propostas concorrentes, a resposta da Equipa Ponto vai “eficazmente ao encontro do Programa do Parque Natural, garantindo com o tempo um carácter de 'organismo endémico', apoderando-se da topografia”. Segundo o relatório do júri, presidido pelo arquitecto João Favila Menezes, “a casa cria uma forte atmosfera que tira partido da relação intensa entre a sua construção e os elementos naturais, o basalto, o mar e o céu”.

Do júri faziam ainda parte o arquitecto Luís Vilhena, pela Delegação da Madeira da Ordem dos Arquitectos e o dr. Paulo dos Santos Gomes Oliveira, director do Parque Natural da Madeira.

Este organismo e a Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais foram parceiros da OASRS para o Concurso.

O 2º Prémio foi atribuído ao GGL Atelier Ldª com a coordenação da arq. Ana Gabriela Bastos Gonçalves. O 3º Prémio foi atribuído à proposta do arquitecto Pedro Duarte Bento.

O júri entendeu ainda atribuir uma Menção Honrosa de valor não pecuniário ao trabalho dos arquitectos Marcelo Dantas+Laura Espejo pela “sua singularidade”.

O Concurso “Duas Casas nas Ilhas Selvagens” é o primeiro de quatro concursos temáticos a lançar no âmbito do Programa escolha-arquitectura até ao final do ano de 2016. Os quatro concursos, subordinados a outros tantos temas de reflexão sobre o papel da arquitectura (Habitar, Sobreviver, Ocupar, Transformar) têm lugar em diferentes pontos do território português, respectivamente Madeira, Área Metropolitana de Lisboa, Médio Tejo e Açores.


Toda a informação aqui e aqui