COLÓQUIO | A arquitectura e o inconsciente

— 14.11.2018

A Biblioteca Nacional de Lisboa recebe, a 14 de novembro, o colóquio "A Arquitectura e o Inconsciente", com o apoio institucional da OASRS.


"A Psicanálise desenvolveu o seu corpo disciplinar a par com o processo experimental das vanguardas, cruzando-se sistematicamente com a construção teórica associada à Arquitectura Moderna. A ideia de um mundo novo para o homem novo potenciou, tanto do lado da Arquitectura, como do lado da Psicanálise, um aprofundamento ontológico capaz de harmonizar a ruptura imposta pela Modernidade com o passado que ficara para trás.


Neste processo, conceitos, como o ‘habitar’, a ‘casa’, a ‘memória’, o ‘corpo’ ou a ‘protecção’, são partilhados por ambas as disciplinas, permitindo traçar bases para o enquadramento das subjectividades inerentes às relações entre indivíduos e entre estes o meio em que se inserem, ou que interiorizam. Ainda que mutuamente se citando nos conceitos e nas metáforas que delimitam ambos os campos disciplinares, Arquitectura e a Psicanálise têm prosseguido sem verdadeiramente se encontrarem,

como uma dupla espiral que evolui em paralelo.


Todavia, o intervalo entre esses dois eixos tem-se revelado muito rico, explorado por várias disciplinas que a ambas recorrem: a pintura e a escultura, a música e a dança, o teatro e o cinema, a filosofia e a literatura, as tecnologias e as artes da paisagem, explorando as metáforas equívocas, os modos múltiplos de corporeidade e de intimidade, a densidade dos lugares, dos ambientes e dos horizontes.


O encontro que se irá realizar no próximo dia 14 de Novembro, na Biblioteca Nacional, pretende pensar esta estranha convivência da Arquitectura e da Psicanálise na nossa contemporaneidade, os modos fecundos da distância entre ambas, mas também os da indireta alusão ou recurso, seja em cada um delas, seja através de outras disciplinas.


Denominado A Arquitectura e o Inconsciente, o encontro declina-se em quatro temas, correspondente cada um a uma sessão de debate, na qual a apresentação de um arquiteto reconhecido será discutida por um painel com a presença de psicanalistas, artistas e especialistas de outras disciplinas: “A Dupla Hélice” (John Shannon Hendrix), que visa debater o percurso histórico da Arquitectura e da Psicanálise desde o início do Seculo XX; “Metáforas Equívocas” (João Mendes Ribeiro), em torno dos modos como ambas as disciplinas são usadas pelas artes, por exemplo, na dança, na cenografia e nos figurinos; “Fisicalidades e Intimidades” (Manuel Aires Mateus), sobre a multiplicidade das experiências do corpo, das emoções e da cognição que as obras de Arquitectura convocam; e, por fim, “Céu e Terra” (João Ferreira Nunes), sobre a densidade de níveis, sinais e referências que a Arquitectura gera na organização dos espaços.


Ainda que tenha como público privilegiado os arquitectos e estudantes de arquitectura, os psicanalistas e psicólogos, pensamos que o encontro possa vir a ter interesse para artistas e especialistas de artes plásticas e performativas, cientistas sociais e humanos, e o público em geral.



Comissão Organizadora:

Dulce Loução (CIAUD/FA, Universidade de Lisboa)

Jorge Croce Rivera (CHAIA/Universidade de Évora)

Paulo Tormenta Pinto (Dinamia-CET/ISCTE, IUL)

Nuno Monteiro (SPP)

Rosário Belo (AP)

Teresa Heitor (CiTUA/IST, Universidade de Lisboa)


Programa

10h00 - Apresentação do encontro

A Dupla Hélice

10h15 Conferência inaugural: John Shannon Hendrix

11h15 Debate: Joaquim Moreno e Coimbra de Matos

Metáforas Equívocas

14h30 Conferência: João Mendes Ribeiro

15h00 Debate: Pedro Marques de Abreu e João Mendes Ferreira

Fisicalidades e Intimidades

16h15 Conferência: Manuel Aires Mateus

16h45 Debate: Conceição de Almeida e Vasco Santos

Céu e Terra

18h00 Conferência: João Ferreira Nunes

18h30 Debate: João Seabra Dinis, Mário Horta e Pedro Maurício Borges

19h30 Encerramento


------------------------

John Shannon Hendrix

Professor de Arte e Teoria da Arquitectura na Universidade Roger Williams desde 1999, foi Professor de História da Arquitectura na Universidade de Lincoln, Lincoln, Inglaterra de 2007 a 2015, de História da Arte e Cultura Visual na Rhode Island School of Design de 2004 a 2010 e na Universidade John Cabot em Roma, na University of Connecticut, no Rhode Island College e na University of Massachusetts Lowell. Formou-se em pintura no Instituto de Arte de Chicago, é Mestre em Artes pela Escola de Design Rhode Island, Mestre em Arquitectura pela Universidade de Illinois em Chicago e Doutorado. em Arquitectura pela Universidade de Cornell.


Joaquim Moreno

Formou-se na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, obteve o grau de Mestre na Escola Técnica Superior de Arquitectura de Barcelona da Universidade Politécnica da Catalunha, ETSAB, e doutorou-se em Teoria e História de Arquitectura na Escola de Arquitectura da Universidade de Princeton, Princeton University, com a tese ‘Arquitectura Bis (1974-1985): de publicação a acção política’.


Coimbra de Matos

Licenciado em Medicina, especializa-se em psiquiatria, fixando-se em Lisboa, onde desenvolverá a sua carreira, tanto hospitalar, como psicanalítica e académica. Aqui, virá a integrar e a dirigir o Centro de Saúde Mental Infantil

e Juvenil de Lisboa e o Departamento de Pedopsiquiatria do Hospital D. Estefânia, onde prosseguiu o seu trabalho hospitalar até à sua reforma. Desenvolve ainda a sua actividade na Sociedade Portuguesa de Psicanálise, como analista didacta e presidente da comissão de ensino, investindo continuamente no ensino e formação de novos psicanalistas e promovendo o trabalho científico desenvolvido pela referida Sociedade.


João Mendes Ribeiro

Licenciou-se na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, tendo aqui leccionado entre 1989 e 1991. O seu trabalho foi objecto de inúmeras publicações e exposições na Alemanha, Argentina, Bélgica, Brasil, Chile, China, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos da América, França, Holanda, Itália, México, Peru, Portugal e Reino Unido, destacando-se a sua presença na representação portuguesa da 9ª Mostra Internacional de Arquitectura da Bienal de Veneza, em 2004.


Pedro Marques de Abreu

Arquitecto pela Faculdade de Arquitectura Universidade Técnica de Lisboa (1990), Mestre em “Reabilitação da Arquitectura e Núcleos Urbanos” (1997), e doutorado em Teoria da Arquitectura (2007), também na FAUTL, onde lecciona as disciplinas de Teoria da Arquitectura, Teoria do Lugar, História da Arquitectura da Época Moderna e Ontologia e Fenomenologia da Arquitectura e da Cidade.


Manuel Aires Mateus

Nasceu em Lisboa em 1963 e formou-se na Faculdade de Arquitectura /UTL em 1986. Começou a colaborar com o Arquitecto Gonçalo Byrne em 1983 e começou a desenvolver projetos com o seu irmão Francisco em 1988. O atelier Aires Mateus é fundado nessa altura pelos dois irmãos, embora ocupando ainda um espaço dentro do atelier do Arquitecto Gonçalo Byrne. A crescente escala de projectos fez com que se estabelecessem num espaço maior e autónomo para responder às solicitações de trabalho. Desde essa altura a dimensão e quantidade de trabalho tem sido prolífica resultando em diversos prémios de arquitectura nacionais e internacionais.


Conceição de Almeida

Psicóloga clínica, psicanalista de adultos, crianças e adolescentes. Membro associado da SPP e IPA. Trabalha na área dos comportamentos aditivos onde co-coordenou uma Unidade de Crianças em Risco. Exerce a sua actividade privada em Coimbra. É formadora no Instituto de Psicanálise de Lisboa. Publicou artigos ligados à problemática da falha narcísica, trauma e patologia aditiva.


Vasco Santos

Psicoterapeuta e psicanalista, desenvolve desde 1979 uma singular actividade de editor. Fundou a editora Fenda e dirigiu a revista com o mesmo nome, e co-dirigiu a revista Pravda. Publicou autores fundamentais como Ezra Pound, Bashô, Diderot, Pascal, P. Valéry, Lautreamont, ou Ernesto Sampaio, Alberto Pimenta, M. S. Lourenço, Manuel da Silva Ramos, Alface, entre muitos outros. É membro associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da International Psychoanalytical Association. Tem colaboração diversificada nos domínios da reflexão literária e da psicanálise aplicada.


João Ferreira Nunes

Nascido em Lisboa em 1960, é o fundador e Director do Atelier de Arquitectura Paisagista PROAP, que reúne um vasto grupo de profissionais numa equipa pluridisciplinar com distintos níveis de especialização em paisagem, na sua aceção mais inclusiva. Licenciado em Arquitectura Paisagista pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa. Obtém o título de Mestre na Escola Técnica Superior d’Arquitetura de Barcelona, Universitá Politecnica de Catalunya.


Pedro Maurício Borges

Licenciatura em Arquitectura pela FAUTL, 1986. Docente em Projecto no Darq-FCT da Universidade de Coimbra desde 1991. Doutoramento em Arquitectura pela Universidade de Coimbra, 2008. Arquitecto com atelier próprio desde 1993.