Ampliação do Lar da Criança em Portimão vai destruir projecto original do arquitecto António Vicente de Castro

— 14.02.2018


A Câmara Municipal de Portimão autorizou as obras de ampliação do edifício do Lar da Criança que vão “destruir, subverter e adulterar” o projecto original da autoria do arquitecto António Vicente de Castro.


A Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos (OASRS) esteve presente na Reunião Ordinária da Camara Municipal de Portimão no passado dia 6 de Fevereiro para apelar à não legalização de obras existentes e do projecto de ampliação do edifício do Centro de Assistência Polivalente, Lar da Criança. Contrariando as recomendações da OASRS e os apelos de outras instituições na área da preservação do património, a autarquia licenciou as obras clandestinas, realizadas e denunciadas desde 1999.


A OASRS pretende “impedir a destruição, subversão e adulteração” do edifício, construído entre 1959 e 1962 e considerado, pelo Docomomo, como “uma obra de referência da arquitectura portuguesa no mundo”, “de valor inestimável” e “um exemplar da obra excepcional do arquitecto António Vicente de Castro”. Com o objectivo de “defender a sua preservação para a posteridade”, o Docomomo enviou à Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) o pedido de abertura de classificação do edifício, que está, segundo o que a OASRS apurou, “em processo de decisão” na Direcção Regional de Cultura do Algarve.


Em carta enviada em Setembro transacto à presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, à Comissão de Coordenação da Região do Algarve e à DGPC, a OASRS expressou “sérias e graves preocupações relativamente às intervenções clandestinas anteriormente realizadas, bem como ao projecto de ampliação solicitado pela actual Direcção do “Lar da Criança”.


Nessa missiva, a OASRS lembra que o edifício assinado pelo arquitecto António Vicente de Castro é “um exemplar da mudança histórica nas preocupações assistenciais nacionais e regionais”, símbolo de “um marco geracional de arquitectos” algarvios que tiveram um papel fundamental na “implementação da arquitectura moderna numa região onde predominava o conservadorismo”.


Para a OASRS, o complexo do Lar da Criança “é uma obra com múltiplas referências no panorama crítico da arquitectura moderna em Portugal” considerada um dos “poucos exemplares da Arquitectura Moderna de carácter social em Portimão”.


Desde os anos 90 do século passado que sucessivas obras levadas a cabo pelo Lar da Criança são alvo de reclamações, não só pelo próprio autor do projecto ainda em vida, como pela actual detentora dos direitos de autor, a arquitecta Maria Luísa Castro.


Apesar das reservas camarárias, a OASRS está disponível para dialogar com a autarquia no sentido da preservação do património arquitectónico em risco.


O arquitecto António Vicente de Castro, recorde-se, dá nome a três ruas da cidade de Portimão e mereceu, em 2010, a medalha póstuma atribuída pelo município “pela obra de valor, inovadora e representativa da arquitectura do período Moderno no Barlavento Algarvio”.


(Foto Luísa Castro)