Lançamento do livro "Sete Círculos" de Pedro Campos Costa e Eduardo Costa Pinto

— 11.11.2015


Depois de “Duas Linhas” lançado em 2009, editado por Pedro Campos Costa e Nuno Louro, sobre a ocupação do território português e a sua paisagem, Campos Costa e Eduardo Costa Pinto avançam para “Sete Círculos”, o livro sobre Lisboa que pretende questionar os limites da cidade contemporânea.

A interrogação central é “O que é o centro, onde está o limite entre o espaço rural e o espaço urbano?”. Em torno dela, Pedro Campos Costa e Eduardo Costa Pinto, planearam um livro, mas também conferências e exposições de fotografia que são, explicam, “pretexto para criar o debate e contribuir para ele".

E acrescentam: "Pensar, olhar, investigar, descobrir, especular e criar novas perspectivas sobre os limites das cidades. Não só desta realidade urbana, mas de tantas outras que parecem condenadas às normativas e ao vocabulário apertado, à ditadura do sempre foi assim, ao peso da história que nos cega, ou ao economicamente útil e politicamente mais correto. Debater os limites é também perceber como autarquias que têm limites administrativos vizinhos, podem ser atravessadas por diversos elementos, pela água, pela topografia, pelas necessidades de mobilidade ou mesmo por simples novas narrativas que criem outras perspetivas de desenvolvimento conjunto. Nada de novo e de uma enorme banalidade, mas de uma enorme importância se esses obstáculos que existem no dia-a-dia, não os conseguirmos ultrapassar”.

São sete os círculos não porque sejam sete as colinas de Lisboa - os autores explicam que “Lisboa não tem sete colinas, é uma narrativa criada no século XVII, imitando as sete colinas da cidade de Roma” - mas porque “a ideia dos círculos está associada à estrutura do livro. Com centro na rotunda do Marquês de Pombal, em Lisboa, traçámos raios de 30º em 30º, e sempre que o nosso percurso, ou a nossa ideia de limite, se cruzava com esses raios virtuais marcávamos um ponto e tirávamos uma fotografia”.

Para cada círculo convidaram dois autores de diferentes áreas disciplinares, designadamente:

- (C1) Historiador José Sarmento de Matos e Arquitecto Gonçalo Byrne;

- (C2) Arquitecto Paisagista João Nunes e Escritor Gonçalo M. Tavares;

- (C3) Arquitecto Javier Arpa Fernandez e Artista Filippo Minelli;

- (C4) Engenheiro Mário Alves e Investigadora de Ciências Políticas Olivia Bina;

- (C5) Filosofa Adriana Veríssimo Serrão e Geógrafo Francesc Muñoz;

- (C6) Urbanista Michael Sorkin e Geógrafo Álvaro Domingues;

- (C7) Arquitecta Paisagista Mary Bowman e Geógrafo Eduardo Brito-Henriques.

A cada um dos autores foi pedido para escreverem, na forma de texto ou de comentário às fotografias, sobre o seu respectivo círculo sem que fossem limitados por isso, criando-se assim diferentes perspectivas.

Para fotografar o C7, feito pelo limite da bacia hidrográfica do Tejo, e o C0, correspondente à Muralha Fernandina e capítulo de introdução do projecto, foram convidados os fotógrafos Duarte Belo e Tiago Casanova, respetivamente.

No C0, é feita ainda uma introdução aos “Sete Círculos” pelos autores e editores do projeto.

Eis o programa associado ao lançamento do livro e que conta com a OASRS como parceiro:

- 20 de Novembro - conferência de apresentação do projecto“Sete Círculos” e lecture da arquitecta paisagista Mary Bowman (Gustafson Porter), no Teatro Municipal do Porto - Rivoli, às 18h30;

- 21 de Novembro - participação na exposição "Os Inquéritos [à Fotografia e ao Território] ∙Paisagem e povoamento” (até 31 de Janeiro), no CIAJG em Guimarães;

- 16 de Janeiro - lançamento do livro “Sete Círculos” e participação no debate inserido na exposição "Os Inquéritos [à Fotografia e ao Território] ∙Paisagem e povoamento” (até 31 de Janeiro), no CIAJG em Guimarães;

- 4 de Fevereiro 2016 - início da exposição das fotografias do projeto (até 4 de Junho de 2016), lançamento do livro e conferência com os autores inserida no ciclo “Ideias em Palco”, no Teatro Municipal de Faro;

- 10 de Março de 2016 - Conferência Internacional e lançamento do livro no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada; início da exposição das fotografias do projeto no Fórum Romeu Correia, em Almada (até 25 de Abril de 2016);

- 12 de Março de 2016 - início do workshop “Fotografar os limites da Cidade”, realizado em parceria com a OASRS e a APAP, em Lisboa.


Toda a informação aqui


Foto: Duarte Belo