O futuro dos Espólios e Acervos dos Arquitectos Portugueses (balanço 2014-16)

— 11.01.2017

O projecto do Centro de Documentação surgiu com a elaboração do Plano Estratégico da Secção Regional do Sul da Ordem dos Arquitectos e na sequência do seu enquadramento em torno da temática ‘Identidade e Inclusão’, que serviu de mote para o triénio 2014-2016.


O seu principal objectivo é salvaguardar a memória e identidade colectiva do património histórico da arquitectura portuguesa através da recolha, estudo e divulgação dos espólios e acervos dos arquitectos.


A sua missão: estimular, promover e difundir o conhecimento arquitectónico através da agregação de várias entidades – universidades e centros de investigação, arquivos documentais, profissionais, decisores políticos e promotores da arquitectura. Nesse sentido, o Centro de Documentação deverá constituir-se como uma plataforma para a informação, identificação, divulgação e promoção de espólios e acervos de arquitectos.


Através da realização de protocolos estratégicos, a OASRS pretende assumir-se como entidade agregadora da informação digital da documentação referente aos arquitectos e respectivos projectos, garantindo a sua preservação, investigação e divulgação.


O Centro deverá funcionar como um serviço de apoio aos arquitectos ou respectivas famílias que queiram ceder à Ordem dos Arquitectos e entidades parceiras os seus espólios e acervos, assegurando a correcta catalogação, estudo, divulgação, conservação e arquivo.


Entre 2014-2016 a SRS estabeleceu um conjunto de contactos com o objectivo de dar o conhecer este projecto e estabelecer parcerias com entidades já envolvidas no processo de recolha e tratamento de espólios e acervos. Paralelamente acolheu quatro espólios com uma importância significativa para a história da arquitectura portuguesa do século XX e que se encontravam em risco de se perderem: Jorge Branco Ló, João António Aguiar, Jorge Costa Maia e José Pires Branco.


Na sequência destes acolhimentos a SRS estabeleceu um conjunto de protocolos no sentido de encontrar parceiros para o arquivo, estudo e divulgação da documentação recebida, nomeadamente, com a Faculdade de Arquitectura de Lisboa e com um projecto de investigação dedicado aos espólios e acervos dos arquitectos portugueses. Em 2017 serão apresentados os primeiros resultados.