Curso de Verão Construir no Sul decorre de 27 de Junho a 1 de Julho

— 22.06.2016


Vai decorrer de 27 de Junho a 1 de Julho, no ISCTE-IUL em Lisboa, o curso de verão “Construir no Sul”, que toma "como ponto de partida o trabalho em desenvolvimento ao nível dos últimos anos do Mestrado Integrado, relativo às intervenções em Sines".

Organizado de forma a oferecer conferências e workshops, Construir no Sul inaugura com uma exposição do fotógrafo e arquitecto Fernando Guerra no período da manhã de dia 27, estando previstos ao longo dos dias vários workshops e conferências compostas por uma conversa entre dois arquitectos relevantes às práticas projectadas a Sul, respectivamente Fernando Guerra, Bak Gordon + Falcão de Campos, Ana Vaz Milheiro + Manuel Graça Dias, Gonçalo Byrne + Manuel Aires Mateus e Carrilho da Graça + Nuno Mateus (ARX). Os workshops estão a cargo de Embaixada, Extrastudio, ForStudio, Fora, Isabel Barbas, Helena Botelho+Filipe Mónica+José Maria Assis e Patrícia Santos Pedrosa.

Os organizadores consideram " oportuno lançar um ciclo de estudos específico, a funcionar de modo concentrado, em formato de curso de verão, onde possam ser debatidos e experimentados de modo conceptual, os critérios e os contornos de intervenção no Sul de Portugal". E acrescentam: "As características deste território de influência mediterrânea foram exploradas, em vários momentos da história como laboratório de síntese da cultura arquitectónica moderna. No plano nacional pode destacar-se o trabalho realizado por George Kubler que, na década de 1970, traçou uma leitura sobre o Sul enquanto receptáculo de influências provenientes de outras áreas culturais com a Flandres ou Espanha - o estilo chão, “entre as especiarias das índias e os diamantes do Brasil”, corresponde a uma resposta a factores conjunturais de ordem política, militar e religiosa, que se materializou na expressão de uma arquitectura despojada, que se emancipou diante regras clássicas e das normas académicas, provenientes da tratadistica italiana. O Sul foi também o território de pesquisa de Raul Lino, coleccionando no início do século XX, nas viagem com Roque Gameiro, a expressão em estado puro da arquitectura meridional – argumento fundamental da sua obra. Mais recentemente, o Sul foi tratado por arquitectos como Siza Vieira, no bairro da Malagueira, ou Vítor Figueiredo no pólo universitário da Mitra, como suporte conceptual de um itinerário arquitectónico onde a expressão do tempo longo, capaz de unificar o passado e o presente, se materializou como fundamento inequívoco da arquitetura portuguesa contemporânea".

A OASRS é parceira do workshop, uma organização de Paulo Tomenta Pinto e do NAU que confere 6 ECT's.

Toda a informação aqui