Directório de Arquitectos: uma questão de paridade

— 16.03.2016


O Directório de Arquitectos criado no âmbito do Programa escolha-arquitectura nasceu da constatação de que não existia um espaço onde os arquitectos pudessem mostrar-se em regime de total paridade à sociedade. “Há muitos e bons arquitectos. Queremos dar a todos a mesma oportunidade de se mostrarem ao mundo”, refere o vice-presidente da OASRS.

Criar um Directório de Arquitectos que pudesse ser fácil, abrangente, ilustrativo. Estes os objectivos do Directório criado no âmbito do Programa escolha-arquitectura, recentemente lançado. “Sentimos que muitos arquitectos acabam por não ter uma grande visibilidade por razões que se prendem com as suas circunstâncias particulares. E achamos que podíamos ajudar nesse processo, dando a todos a mesma oportunidade de se mostrarem”, explica o arquitecto Paulo Borralho.

Nasceu assim o Directório de Arquitectos uma plataforma de registo voluntário, gratuito e intuitivo, em que os arquitectos se podem inscrever a título individual, em associação com outros colegas ou como organização ou entidade constituída juridicamente. “Existem várias possibilidades através das quais pretendemos abarcar todas as hipóteses e não apenas o membro como tal”, explica Paulo Borralho.

O processo é simples: o arquitecto acede à Plataforma da Encomenda, faz o seu registo no directório a título pessoal e/ou como colectivo, preenche os campos solicitados no perfil, nos quais fornece alguns dados sobre si, sobre as áreas de trabalho, a experiência que possui, por exemplo. “À informação curricular, o arquitecto pode acrescentar imagens e informação sobre até 5 projectos seus por forma a dar uma perspectiva mais ilustrada do seu trabalho”, adianta Paulo Borralho. E acrescenta: “Esta é na verdade a grande vantagem suplementar deste Directório, porque permite que as pessoas vejam o que os arquitectos andam a fazer. Talvez no futuro, se o sucesso da Plataforma o permitir possamos alargar o número de projectos que os arquitectos podem mostrar”.

Para o utilizador, a pesquisa de Directório permite fazer buscas por arquitectos, tipologia de projecto, custo de obra, entre outros critérios. “A pesquisa pode ser mais concisa, de forma a mostrar vários arquitectos num determinado contexto, ou mais abstracta e mostrar um arquitecto por circunscrição geográfica, por exemplo”.

É sabido que as adjudicações dos trabalhos são muitas vezes feitas de modo informal, alguém conhece alguém, alguém é amigo de alguém. O Directório coloca todos em pé de igualdade perante as mesmas oportunidades”, conclui Paulo Borralho.